Terça-feira, 3 de Junho de 2014

 

conto interrompido

 

quase não o reconheceu: barba sem abrigo, calças rasgadas, ombros envegonhados, nuca em vírgula e olhos no chão. a fraca figura de adolescente shoegazer num homem daquela idade causava-lhe um desconforto quase insuportável. tão quase que não lhe falou. faltou-lhe a coragem, ganhou-lhe a vergonha. lembra-se bem daquela cara mas caberá à memória inventar-lhe um nome. era amigo dos pais, figura assídua nos serões lá em casa nos anos oitenta. lembra-se que ficava com a irmã mais velha: os dois deitados no sofá, a fingir que dormiam. ouviam em falso segredo as conversas dos adultos que bebiam e jogavam às cartas até de manhã. falavam de política, de livros, de trabalho e de outras coisas que não entendiam. qual é o trunfo? os miúdos a fingir que dormiam, os adultos a fingir que se importavam. o trunfo é copas.

 

[continua, como a vida.]

 

um tal de joão gaspar

despesadiaria às 07:00
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014