Sexta-feira, 6 de Junho de 2014


Procura o maço de tabaco. Apalpa o blusão. É uma ordem. Apalpa. Isso. Mais abaixo. Retira-o do bolso, abre-o e serve-te de um. Depressa. Não tenho o dia todo. O isqueiro está sempre no bolso das calças, no direito, envolvido com a pene de 64 Gb. Engana-te e tira primeiro a pene. Muito bem. Guarda a pene e tira o isqueiro. Não, tira o isqueiro. O isqueiro, caramba, não é assim tão parecido com a pene. Estava difícil. Vá, acende o cigarro. Dá uma passa para além da primeira e caminha até ao carro. Põe-te à frente do carro. Perfeito. Afasta só um bocadinho mais as pernas, como se te fizesses ao plano americano para o domínio do mundo. Olha para o chaço com desalento. Desalento, desalento. Desalento não é estar com gases. Desalento, desencanto, a consciência de que há ideias melhores. Leva a mão direita à cab... Deixa a chuva, é só água. Concentra-te no desalento, no dia que já percebeste que vais ter. Só uma contração dos maxilares, um esgar, um sopro. Depressa. Eu também tenho a minha vida. Depois fazes o que quiseres, secas-te. Deixa estar a chuva. Fica aí fora e desola-te. Fica. Fica. Oito e vinte e três ou quatro. Amanhã experimentamos mais uma vez. Ou depois, se estiver de chuva. Eles dão outra vez chuva para amanhã de manhã.



E.

despesadiaria às 00:11
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014