Quarta-feira, 11 de Junho de 2014

 

riscar o que não interessa

 

sabes que é inútil. só querias escrever uma frase mas sabes que é inútil. é essa a grandeza do ser humano, disse o pina uma vez. que é inútil. que sabemos que é inútil. e mesmo assim vamos lá. se calhar o pina não disse exactamente estas palavras. mas foram estas as palavras que eu ouvi. é aquela merda da arte estar nos olhos de quem vê ou o caralho. eu ouvi, está ouvido; a literatura que se foda. a literatura é inútil. e ainda por cima já está toda escrita. sabes que é inútil. procuras in-ce-ssan-te-men-te a frase perfeita. sabes que é inútil. aquela frasezinha: punho cerrado, seta apontada, metáfora indelével. uma frase, para te salvar a vida. uma frase e morrias feliz. aquela puta de frase, a meio caminho entre o riso e o chão, onde a literatura nasce, vive e morre, se tudo correr bem. tentas lá ir, com a certeza de que nunca conseguirás lá chegar. sabes que é inútil.

um tal de joão gaspar.

despesadiaria às 07:30
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014