Domingo, 27 de Abril de 2014

 

idílios e pequenos delitos, Verde, X

 

Rythm of the Night a tocar e eu um amigo a brincar ao Saber Rider com armas de pinho rematadas com pregos oxidados. Brincávamos à socapa, com aquela vergonha típica de garotos que não querem ser vistos a ser garotos. “Essa cassete não presta. Já saiu a Dancemania 95, putos”, disse-nos um primo mais velho que já saía à noite com os seus sapatinhos de ir ao pito. Comecei a sair de casa tarde, mas nunca tive sapatos de ir ao pito. A minha primeira noitada foi patrocinada por um amigo recém-chegado de um Erasmus na Lituânia; notava-se que estava demasiado alegre e ainda mal aclimatado aos paulatinos hábitos da cona indígena. Embriagados com whisky protestante abordamos o femeaço local com uma certa prosápia: eu gastei os tropos de uma literatice mal industriada, que usa mais porquanto do que porque; ele usou os movimentos de dança que tinha aprendido nas discotecas lituanas e com as irmãs mais velhas. Houve troca de saliva seguida de vómito, se bem me lembro. Só sei que acabei a noite a gritar “voglio vederti danzare, puta”.

 

[]

despesadiaria às 23:52
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014