Sábado, 13 de Setembro de 2014

 

Com a benção de D. Manuel Clemente e com o apoio passional do Craveirinha, embarquei no comboio das seis da tarde para constatar que o meu amor-próprio teria de vir, fatalmente, de lá. (Da França.) Sim, eu inclusive desconfio que há os que amam a França e os que lhe acham graça mesmo assim. No entanto, para me proteger da bicharada, e daquilo que o Eric Rohmer foi noutros lugares, talvez fosse ou viesse a ser melhor escrever (daqui até a hora aproximada da Parousia) pelo menos dois Eclesiastes e um Livro de Jó por semana. O que, à conta da vida que tenho, resulta sempre espontaníssimo.

 

Peor

despesadiaria às 16:13
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014