Sábado, 4 de Outubro de 2014

 

Die Königin der Nacht

 

Foi uma pessoa do tipo D que eu vi. A receita não domino, mas o processo de decomposição ia avançado e, pelo aspecto, não se podia dizer que tivesse levado um grão de açúcar. Avançava à minha frente, o peso do seu corpo alto e esguio transposto de um pé para o outro, lentamente. Velha, andrajosa, de longos cabelos grisalhos e maltratados, imponente no seu reino por terra, dava meia dúzia de passos, estacava e abraçava-se. Via-lhe as mãos, uma de cada lado do lombo, divagando timidamente. Depois retomava o passo, que alternava com a dança, o passo e a dança, o passo e a dança, alheia às regras do baile.

Eu ainda não apodrecera o suficiente para atingir o estádio do ritmo possível, pelo que não tive outro remédio: ultrapassassei-a.

Penso nela muitas vezes, chego mesmo a vê-la, linha de horizonte imaginada, indefectível.

Para lá caminho.

 

Menina Limão

despesadiaria às 23:56
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014