Segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

 

As coisas não poderiam ser mais diferentes, são sempre diferentes de casa para casa de rua para rua de vida para vida, tudo a mudar consoante as vogais mais ensinadas mais aprendidas mais desenvolvidas, sem esforço sem exigências de livre e espontânea vontade, palavras sábias, para não desperdiçar a preguiça e preferi-la ao esforço e ao sacrifício das cobranças difíceis de ir ver a família lá longe, recuperar os amigos do liceu - nunca mais apareceste - e tu? que ficaste nessa vida de sempre e para sempre e a vida lá fora à espera, para agora cobrar o passado, a amizade putativa da juventude eterna, a intimidade forçada e a privacidade esquecida, não interessa para nada, o que interessa é o conforto esforçado e burguês, muito esforçado e muito burguês, para se ser amado e gostado e para isso é preciso sacrificar os dias e a vida até ao momento em que vês que as coisas não poderiam ser mais diferentes menos iguais e te desmaterializas sem esforço. 

 

jorge c

despesadiaria às 10:17
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014