Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

...

(memorabilia)

 

– Lembras-te do Fede?

– Do Fede?

– Sim, daquele rapaz que andou na nossa turma.

– Tenho uma ideia, sim.

– Sabes por que lhe demos esse nome?

– Cheirava sempre mal, o rapaz.

– Ontem lembrei-me dele.

– Porquê?

– Num cacho de uvas morangas que roubei ali em baixo vinha um fede-vivo.

– Um “fede-vivo”? O que é isso?

– Um insecto, um percevejo verde, que liberta um cheiro desagradável quando incomodado.

– Não estou a ver o bicho. Mas percebo o motivo por que te lembraste do Fede.

– Sim, e tentei recordar-me, sem sucesso, do verdadeiro nome dele.

– Também não me ocorre agora.

– Não te sentes mal por isso?

– Não, nada.

– Eu sinto-me uma merda.

 

nev

despesadiaria às 17:06
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014