Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2014

 

Levantamento de Informação Geográfica de Suporte ao Ordenamento de bruno

 

Será útil reflectir sobre bruno não como área urbanizada, mas como um espaço de complementaridades resultantes da diversificação de condições naturais no território.

O maciço central de bruno foi erguido (na década culturalmente incorrecta) pela ascensão tectónica contínua de uma coluna magmática, o cone vulcânico perfurando a rugosidade arrepiada da superfície topográfica - a camada de recordações sedimentares constituída por escoadas basálticas, margas, vanessas, cristinas.

Essa cobertura sedimentar foi sendo progressivamente desmantelada por agentes geomorfológicos erosivos. Fluidos de escorrência escavaram a rocha mais branda, ajudando à decomposição de aspectos consensuais, depositando aluviões e permitindo a formação de áreas deprimidas, independentes, construindo uma Península (alice).

bruno permaneceu ladeado por plataformas diletantes. Alguns desses micro-relevos acidentais eram compostos por materiais carsificados, cavidades de moral e humidade variada, possibilitando a dissolução do calcário por novos, insuspeitos afluentes. A idade das areias pode ser determinada medindo os sinais de Outono na Península.

O paleossolo testemunha o escoamento, a dimensão do que se ganhou, do que se perdeu. A área emersa foi atingida por colisões eólicas, colonizada por novas vegetações, cujo florescimento permitiu que regimes de erosão ocorressem em segredo. Faunas adquiriram vocabulários próprios. As vertentes declivosas de bruno, com alto teor de argila e esquecimento, tornaram-se propensas a perder a coerência morfológica na presença de fluidos terceiros. A Península derivou.

A fauna ganhou extravagância e, protegida por copas frondosas, afirmou nos seus alfabetos privados que odeia o Outono. Nas enseadas gémeas de bruno, suportadas por cartilagens amnésicas, águas salobras sepultam redomas de sal e relevos submersos.

Será útil reflectir sobre bruno não como um espaço de complementaridades passível de ordenamento, mas como uma grelha em que cada quadrícula é um olho, a piscar na direcção Poente, para longe do que é agora um arquipélago.

 

Alice G.

 

despesadiaria às 19:47
|

.Arquivo

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014